Primeiros sintomas da deficiência de magnésio

Poucas pessoas estão cientes do enorme papel que o magnésio desempenha em nossos organismo. O magnésio é de longe o mineral mais importante do corpo. Depois de oxigênio, água e alimentos básicos, o magnésio é o elemento mais importante e necessário, de importância vital, mas ainda pouco conhecido. É mais importante que o cálcio, potássio ou sódio, e regula todos os três. Milhões sofrem diariamente de deficiência de magnésio sem nem mesmo saber disso. Apenas dizer que o magnésio é importante na saúde e na medicina é subestimar este riquíssimo mineral, necessário em mais de 300 reações bioquímicas no corpo.

“A falta de magnésio no nosso organismo pode afetar todos os sistemas corporais, o que significa que a quantidade de patologias associadas com esta deficiência é assustadora.” – Dr. Mark Sircus

 

Primeiros sintomas da deficiência de magnésio

A deficiência do magnésio no solo é o resultado das práticas agrícolas que exaurem a terra e também das técnicas de preparo que retiram os nutrientes dos alimentos, vide ‘beneficiamento’ da farinha e do arroz, por exemplo; bem como do tipo de dieta que adotamos. Ao longo do tempo, na maioria dos países industrializados, o consumo de magnésio tem decrescido e, agora, já é ínfimo em toda a população. Estudos promovidos pelo governo dos EUA demostram que 68% da população norte-americana não consome a dose diária recomendada de magnésio e 19% não ingere nem mesmo a metade do recomendado. Os primeiros sintomas da deficiência de magnésio podem ser sutis:

  • cãibras nas pernas;
  • dores nos pés ou músculos;
  • contrações musculares;

Outros sinais precoces de deficiência incluem:

  • a perda de apetite;
  • náuseas;
  • vômitos;
  • fadiga e fraqueza.

À medida que a deficiência de magnésio piora, pode ocorrer:

  • dormência;
  • formigamento;
  • convulsões;
  • mudanças de personalidade;
  • ritmos cardíacos anormais;
  • espasmos coronários.

 

Outros sintomas da deficiência de magnésio

Como já dissemos, a deficiência de magnésio tem amplos efeitos e pode ser responsável por mais doenças do que qualquer outro nutriente. Milhões de pessoas sofrem diariamente com deficiência de magnésio sem saber disso. A deficiência de magnésio pode ser detectada a partir de queixas, desconfortos e diversas doenças presentes. Os sintomas comuns de deficiência incluem:

  • tensão e dor muscular, incluindo dor nas costas e dor de cabeça
  • constipação intestinal
  • insônia, ansiedade, nervosismo
  • ataques de pânico, agorafobia,
  • depressão
  • dormência, formigamento e outras sensações anormais nos membros
  • tremores, convulsões
  • tontura, perda de coordenação, confusão mental
  • palpitações, angina
  • aperto no peito ou a sensação peculiar de não conseguir respirar profundamente. Às vezes a pessoa pode suspirar muito.
  • cólicas menstruais, sensibilidade mamária
  • desejo por carboidratos e por chocolate
  • pele seca, unhas fracas

A deficiência de magnésio também aumenta o risco de AVC, anemia, tensão pré-menstrual, câncer, arritmias cardíacas (alteração no ritmo cardíaco normal) e distúrbios estéticos, como acne e celulite.

Benefícios da suplementação de magnésio

A suplementação de magnésio torna-se essencial para os dias de hoje, já que é fundamental para uma grande variedade de funções cruciais em nosso organismo:

Importante para os ossos, músculos e articulações: o magnésio participa da ativação da vitamina D, que é crucial para garantir a absorção do cálcio pelos ossos. Além disso, controla o metabolismo do cálcio, garantindo que ele se deposite adequadamente nos ossos. Evita a calcificação de articulações, ajudando em situações de dores articulares, artrite e artrose. Deixa os músculos flexíveis e saudáveis, combate a dor muscular.

Fornece bem-estar: o magnésio é essencial para a formação do neurotransmissor serotonina, responsável pelo senso de bem-estar. Por esta mesma razão, ajuda a aliviar ou prevenir o estresse, a ansiedade, e é excelente para tratar e prevenir a depressão. Ajuda no tratamento da insônia e não há nada melhor do que tomar um banho quente de magnésio (ou escalda pés) antes de dormir.

Controla a pressão arterial: o magnésio ajuda a manter a pressão arterial equilibrada, prevenir e combater a hipertensão. Melhora a circulação sanguínea e a oxigenação, além de proporcionar um relaxamento geral.

Melhorar a função pulmonar: a nebulização do magnésio é um tratamento primário para pacientes com infecções pulmonares diversas, para aqueles que sofrem broncoscopia, para asmáticos e qualquer outra doença pulmonar.

Manter batimentos cardíacos e prevenir ataques cardíacos: o magnésio é absolutamente essencial para o bom funcionamento do coração, é benéfico para muitos tipos de arritmias, incluindo fibrilação atrial, contrações ventriculares prematuras, taquicardia ventricular e arritmias ventriculares graves. A suplementação de magnésio também é útil na angina devido a um espasmo da artéria coronária ou aterosclerose.

Para a pele: Ajuda na cicatrização após lesão, diminui edemas, melhora as condições da pele.

Aliado de diabéticos: reverter a resistência à insulina é o primeiro passo para reverter a diabetes. As concentrações baixas de magnésio intracelular estão associadas à resistência à insulina, baixa tolerância à glicose e diminuição da secreção de insulina.

Alivia os sintomas da menopausa: a deficiência de magnésio está associada aos sintomas da menopausa. Isso ocorre porque a deficiência de magnésio altera a ativação da vitamina D associada ao equilíbrio de hormônios como o estrogênio.

Terapia transdérmica de magnésio

A pele é um órgão incrivelmente complexo e, por peso, é o maior de nosso corpo. Cobrindo, em média, algo como quatro metros quadrados e pesando cerca de quatro quilos (perto de 7% do peso do corpo), a pele está envolvida numa troca dinâmica entre os ambientes interno e externo através da respiração, absorção e eliminação. É altamente permeável, embora tenha a habilidade de manter uma importante barreira antibacteriana com o ambiente.

Por conta das especificidades positivas e grau de absorção, o uso transdérmico do cloreto de magnésio tem diversas vantagens em relação ao uso oral, permitindo que altas doses de magnésio cheguem diretamente ao nível celular sem atravessar o sistema digestivo, evitando impactos negativos no intestino, fígado e rins. Por via oral, é grande a perda de magnésio através das fezes, o que não acontece com a terapia transdérmica.

A suplementação com magnésio oral leva entre seis e 12 meses para restaurar os níveis intracelulares, enquanto a aplicação transdérmica com o óleo de cloreto de magnésio promove tal restauração em quatro a seis semanas. Além disso, quando utilizado pela pele o cloreto de magnésio reage com a gordura corporal aumentando naturalmente os níveis de DHEA, o chamado “hormônio mestre”, cujos níveis baixos estão associados ao processo de envelhecimento.

O livro A Terapia do Magnésio Transdérmico – Uma Nova Modalidade para a Manutenção da Saúde fornecerá tudo o que você precisa aprender sobre o magnésio para utilizá-lo ao seu favor em prol da sua saúde e da saúde de quem você ama! Se você quer aprender tudo sobre um sistema de cura poderoso projetado pela Natureza, qual é a melhor forma de magnésio e como utilizá-lo por via transdérmica e oral, então este livro responderá às suas perguntas.

Comprar